Overdose-de-Cocaína

Repentinamente, no topo do sucesso, com uma carreira cintilante a vida toda e com a perspectiva de sucesso pela frente, o artista aparece morto no seu apartamento ou em um quarto qualquer de hotel.

A autópsia mostra que morreu por overdose de cocaína e os fãs levam um susto.

A história, certamente, não é nova, mas a cada novo acontecimento trágico, o fantasma das drogas retorna às manchetes, mexendo com a sociedade.

De acordo com especialistas em psiquiatria e psicologia, os casos de overdose de cocaína e de outras drogas, além de álcool e excesso de medicamentos, mostram que os artistas famosos estão mais suscetíveis de sofrer com o vício e com o uso abusivo de remédios.

A morte de famosos por overdose de cocaína e de outras drogas também desperta a atenção do mundo todo para um número que se mostra assustador: segundo a Organização Mundial da Saúde, em 2013, pelo menos 200 mil pessoas morreram de overdose no mundo todo.

Para muitas pessoas, o acúmulo de estresse a que estão resignados os artistas é o que fundamenta esse número de mortes por abuso de drogas. Contudo, no caso de artistas, também acontece outro fato perturbador: existe uma glamourização das drogas no meio artístico, como aconteceu há poucos meses com o astro Justin Bieber, que sorriu com orgulho depois de ser preso por estar dirigindo sob efeitos de álcool e de medicamentos controlados.

As drogas, os medicamentos e o álcool podem oferecer efeito estimulante no início, permitindo libertar-se e favorecer a carreira. Mas sempre é válido lembrar que seus efeitos são enganosos e que as drogas costumam cobrar o seu preço.

Famosos que morreram em razão da overdose de cocaína

Cássia Eller

Cássia Eller era cantora e violonista de rock nos anos 1990.

Era homossexual, vivia com sua cônjuge e teve ordinariamente problemas com álcool e com outros tóxicos.

Vítima de um infarto do miocárdio, a cantora morreu com 39 anos, como resultado de uma overdose de cocaína.

Jim Morrison

Era cantor da banda de rock The Doors, que fez muito sucesso na década de 1970. Cantor, compositor e poeta, Jim se casou com Pam Courson que o encontrou morto na banheira de seu apartamento em Paris.

O atestado de óbito minucia que ele faleceu em função de problemas cardíacos, adquiridos pelo consumo de álcool, mas a suspeita é na verdade de uma overdose de cocaína. Depois de 3 anos, sua esposa também morreu, vítima de overdose de heroína. Os dois tinham 27 anos.

Elis Regina

Elis Regina foi uma das maiores cantoras brasileiras nas décadas de 1970 e 1980. Seus sucessos encantavam os fãs, vendendo discos aos milhões.

A sua morte ocorreu com a idade de 36 anos, vítima de uma overdose de cocaína, misturada com tranquilizantes e bebidas alcoólicas.

Whitney Houston

Whitney Houston foi uma pessoa de beleza admirável, uma artista promissora. Durante sua carreira, foi cantora, modelo e atriz. Sua vocação e talento eram reconhecidos no mundo todo, essencialmente depois de emplacar a música “I Will Always Love You”, da trilha sonora do filme “O Guarda Costas”. Depois de alcançar o que poderia ser considerado o almejado o ápice da carreira, Whitney instaurou o fundo do poço.

Na década de 1990, iniciou seu vício em cocaína, e sua aparência mudou completamente. Seu relacionamento com o marido Bobby Brown se mostrou destrutivo, contribuindo para o aumento do uso de drogas. Nos anos 2000, a cantora começou uma narrativa de entradas e saídas em clínicas de reabilitação.

No ano de 2006, foi o ano em que divorciou-se do marido e passou a levar a vida de forma mais tranquila, embora sua carreira já não tivesse uma cadência constante.

Em 2009, com o lançamento de “I Look To You”, a cantora se arredou completamente do vício mas, três anos depois, teve uma recaída que, dessa vez, foi fatal. A circunstância oficial do óbito foi afogamento ocasional, mas a autópsia revelou que a morte foi por overdose de cocaína.

Judy Garland

Judy Garland era uma renomada atriz norte-americana que faleceu de overdose de cocaína em 1969, aos seus 47 anos.

Em sua carreira, ela sempre esteve em guerra constante com a vida pessoal, com o álcool e com as drogas.

Considerada uma atriz muito versátil, foi premiada com diversos prêmios importantes, inclusive um Grammy póstumo, em 1997. Era também reconhecida como uma das melhores atrizes, tendo tido um papel marcante no filme “O Mágico de Oz”.

Jerry Garcia

Jerry Garcia era o enigmático homem de frente do grupo de rock chamado The Grateful Dead. O conjunto teve seu pico de sucesso na década de 1990, mas Jerry não chegou a conseguir mostrar sua melhor faceta que podia oferecer ao seu público.

Morreu de um ataque cardíaco em decorrência de overdose de cocaína em agosto de 1995. Ele foi outro astro que viveu em constante guerra com o vício em heroína e cocaína.

Billie Holiday

Billie Holiday era uma sobresselentes do jazz nos EUA, nas décadas de 1940 em diante.

Suas habilidades vocais eram únicas, aprendidas da influência de instrumentais do jazz, ajudando a dar uma forma de expressão ao gênero musical do sul dos Estados Unidos.

Durante sua carreira, ela dominou o mercado musical de jazz , mas, no final da década de 1950, estava arruinada financeiramente por causa do vício em álcool, heroína e cocaína.

Elvis Presley

Elvis Presley ainda hoje é conhecido como rei pop nos Estados Unidos, tendo sido um ícone cultural da juventude. Sua carreira o fez conhecido também como ator, tendo sido protagonista diversos sucessos de bilheteria.

Ele está entre os cantores mais renomados de todos os tempos, sendo um mito tão grande que até hoje as pessoas pensam que está vivo.

Sua morte o acometeu em 1977 em razão do contínuo uso de drogas e álcool.

River Phoenix

No início da década de 1990, River Phoenix era apontado a mais vivaz promessa do cinema em Hollywood.

Sua existência e sua carreira, no entanto, foram subitamente descontinuada por uma overdose de cocaína e heroína quando tinha apenas 23 anos.

A composição da cocaína pode levar a extremos. A droga é altamente vicoviante e, da mesma forma que levou vários astros, pode levar um conhecido seu.